quarta-feira, dezembro 13Programa Rolanda a Bola, de segunda à sexta às 7:00h

Campeão da Libertadores, Cuca foi jogador e técnico do Clube do Remo

O paranaense Alexi Stival, mais conhecido como Cuca, sagrou-se campeão da Taça Libertadores da América na noite desta quarta-feira (24), pelo Atlético-MG ao vencer o Olímpia-PAR nos pênaltis, por 4 a 3, depois de 2 a 0 no tempo normal. Além de ajudar na campanha do título inédito, tanto para ele quanto para o clube mineiro, Cuca espantou de vez a fama de técnico azarado do futebol brasileiro.

  O técnico é bastante conhecido no futebol paraense. Principalmente pelos torcedores do Clube do Remo. O campeão da Libertadores já treinou e jogou no Leão Azul e fez até gol com a camisa remista. Como jogador, disputou algumas partidas pelo clube em 1994. Fez dois gols, um deles em uma goleada histórica sobre o Cruzeiro, por 5 a 1, no estádio Mineirão, valendo pelo Campeonato Brasileiro da 1ª divisão. Na ocasião, o goleiro da Raposa era o jovem goleiro Dida, que oito anos depois seria pentacampeão mundial com a Seleção Brasileira no Japão.

  Como técnico, Cuca tem uma reputação muito boa, porém, quando dirigiu o Remo, chorou ao ser demitido por não fazer grande campanha na época. Cuca mostrou guardar boas recordações do seu trabalho pelo Baenão. “Tenho boas lembranças. Lembro bem. Quando se passa pelo Remo, é um vestibular. Jogar no Baenão e não vencer, é pressão, meu amigo”, exaltou.

Sua índole sempre foi elogiada por aqueles que acompanhavam o Remo de perto na época. O treinador abriu mão de tudo que o Remo lhe devia em 2001, após a má campanha do clube na temporada, alegando que ele não havia cumprido a sua parte.


Fonte: Ronald Sales/DOL